Segundo o Censo Demográfico mais recente, as trabalhadoras rurais são responsáveis pela renda de 42,4% das famílias do campo no Brasil. O índice é superior ao observado nas áreas urbanas (40,7%). Cerca de 14 milhões de brasileiras que estão nas lavouras, comunidades quilombolas e indígenas, nas reservas extrativistas são as protagonistas da agricultura familiar no país. Além disso, são das mãos delas que recebemos 45% dos produtos plantados.

Os papeis das mulheres rurais são tão numerosos quanto suas lutas e vitórias. O que não faltam são histórias de vida inspiradoras. No entanto, ainda não possuem o reconhecimento merecido. Sofrem com o preconceito, com a desigualdade de gênero e com outros problemas que herdaram da vida. Ainda há um longo caminho para o equilíbrio de direitos e oportunidades entre homens e mulheres.

Pensando nisso, o Brasil, na figura da Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário (Sead), junto com diversos parceiros institucionais, órgãos internacionais e da sociedade civil, abraçou a campanha #MulheresRurais, mulheres com direitos, que traz para a luz do debate as experiências das agricultoras do país, bem como  os esforços coletivos para a garantia dos direitos e o reconhecimento da mulher rural como peça fundamental ao desenvolvimento sustentável.

A campanha, que segue até novembro, tem como referência os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU que apresentam mais de 170 metas aos países que pertencem à Organização e marca o ano de 2030 como data limite para conclusão e resultados positivos frente aos objetivos propostos. O intuito é promover a troca de experiências entre os países envolvidos, além de proporcionar um diálogo sobre as políticas públicas desenvolvidas no setor. As ações visam o acesso à informação incentivando o despertar do empoderamento das mulheres que vivem e trabalham com a terra.

 Campanha 2016

Guiadas pelos 17 Objetivos para o Desenvolvimento Sustentável, as matérias foram publicadas entre os dias 1º e 17 de outubro de 2016 pela Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário (Sead) durante campanha internacional pelo reconhecimento dos direitos das mulheres do campo. Promovida pela Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Ali – mentação (FAO), a Reunião Especializada sobre Agricultura Familiar do Mercosul (Reaf) e outros organismos, a ação compartilhou experiências, estratégias e iniciativas já adotadas para impulsionar a promoção dessas mulheres nos países da América Latina e Caribe. Participaram da campanha o Instituto Nacional das Mulheres do Ministério do Desenvolvimento Social do Uruguai (Mides), o Ministério da Pecuária, Agricultura e Pesca do Uruguai, por meio da Direção Geral do Desenvolvimento Rural, e o Instituto Nacional de Tecnologia Agropecuária da Argentina (Inta) e da Unidade para a Mudança Rural (Ucar), ambos do Ministério da Agroindústria da Argentina.

Veja aqui as histórias de 2016

 Os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) definidos pela Organização das Nações Unidas (ONU).